A potência feminista, ou o desejo de transformar tudo

A potência feminista, ou o desejo de transformar tudo

Tadeu Breda, Verónica Gago, Igor Peres, Catarina Bessell - Editora Elefante

SINOPSE

"Uma caixa de ferramentas para ser usada contra a ofensiva neoliberal e conservadora, mas também uma investigação tramada ao calor das assembleias, das mobilizações, das greves internacionais do 8 de março, que conecta as violências econômicas, financeiras, políticas, institucionais, coloniais e sociais." Assim o jornal argentino Página 12 definiu o livro A potência feminista, ou o desejo de transformar tudo, de Verónica Gago. *** Um feminicídio é registrado a cada 29 horas na Argentina — um a cada oito horas, no Brasil. Verónica Gago assume a realidade e a luta das mulheres latino-americanas como ponto de partida para as análises de A potência feminista. Foi a violência estrutural e homicida contra as mulheres argentinas que desencadeou o movimento #NiUnaMenos, que logo se espalhou pelo continente. Cientista política, professora da Universidade de Buenos Aires e militante feminista, Verónica Gago engrossou o movimento, participou de assembleias, marchas e protestos, e, por dentro da mobilização, e em diálogo permanente com luta de mulheres de outros países, passou a enxergar a força contestatária do feminismo latino-americano para muito além do "identitarismo" e do "vitimismo". Quando encarado em sua dimensão de raça, de classe, plurinacional, antiextrativista, e ao ganhar as massas, como tem ocorrido na Argentina com as manifestações pela descriminalização do aborto, o feminismo se torna revolucionário — e aponta inequivocamente para o desejo de transformar tudo. Essa é a tese defendida pela autora em A potência feminista. O livro dialoga com as ideias de Silvia Federici, Angela Davis, Nancy Frazer, Wendy Brown, Rosa Luxemburgo e Karl Marx, entre outras pensadoras e pensadores clássicos e contemporâneos. E defende a proposta da greve internacional feminista como instrumento revolucionário que visibiliza trabalhos e condições das mulheres invisibilizados historicamente pelo sistema. A realidade latino-americana obriga o feminismo a sair do binarismo vítima/algoz e a atravessar os conflitos enfiando transversalidade no "tremor simultâneo das camas, das casas e dos territórios", explica Verónica Gago, sem deixar nada de fora, porque as lutas feministas atravessam tudo. É preciso reconceitualizar as violências machistas e politizá-las, para reconhecer seu horror e desarmá-lo.

256 páginas

ler amostra agora Adicionar a lista de desejos

Você também pode gostar :)

Os títulos que podem te interessar, de acordo com suas escolhas recentes.

Questões de gênero a partir da visibilidade compulsória de mulheres na internet

Questões de gênero a partir da visibilidade compulsória de mulheres na internet

Flávia Werner Scholz

O Maior São João do Mundo: Multifaces de uma Grande Festa Brasileira

O Maior São João do Mundo: Multifaces de uma Grande Festa Brasileira

Zulmira Nóbrega

E por falar em morte

E por falar em morte

Marco Antonio Palermo Moretto,Marly Santos Mutschele

Há um lugar para mim na casa do meu pai

Há um lugar para mim na casa do meu pai

Patrícia Espírito Santo

Algoritmos da Opressão

Algoritmos da Opressão

Felipe Damorim,Safiya Umoja Noble

Contrarreformas ou revolução

Contrarreformas ou revolução

Maria Lúcia Teixeira Garcia,Franciani Bernardes

O PAÍS DOS BEM-TE-VIS: ENSAIO SOBRE A INVEJA NA CULTURA BRASILEIRA

O PAÍS DOS BEM-TE-VIS: ENSAIO SOBRE A INVEJA NA CULTURA BRASILEIRA

Noemi Gomes do Rêgo Coelho

Punir

Punir

Didier Fassin

Cultura do Estupro em Mato Grosso

Cultura do Estupro em Mato Grosso

Rosa Graciéla Campos Lopes

"A gente leva o dinheiro, mas fica o couro"

"A gente leva o dinheiro, mas fica o couro"

Teodório Rogério Júnior

Jovens do sistema socioeducativo

Jovens do sistema socioeducativo

Renan Saldanha Godoi

Sob a "sombra" de Palmares

Sob a "sombra" de Palmares

Danilo Luiz Marques

Histórias românticas na Corte do Brasil Imperial

Histórias românticas na Corte do Brasil Imperial

Valdeci Rezende Borges

Empobrecimento da experiência, formação e juventude

Empobrecimento da experiência, formação e juventude

David Budeus Franco

Nos Rastros de Sujeitos Diaspóricos: Narrativas sobre a Diáspora Africana no Ensino de História

Nos Rastros de Sujeitos Diaspóricos: Narrativas sobre a Diáspora Africana no Ensino de História

Carolina Corbellini Rovaris

O Fim, o Começo e o Ser: Heidegger e o outro Início

O Fim, o Começo e o Ser: Heidegger e o outro Início

Paulo Victor Rodrigues da Costa

Refugiados Colombianos no Brasil e no Canadá: Narrativas e Estruturas de Acolhimento

Refugiados Colombianos no Brasil e no Canadá: Narrativas e Estruturas de Acolhimento

Gustavo da Frota Simões

A motivação para os nomes dos lugares da Floresta Nacional de Humaitá, no sul do Amazonas

A motivação para os nomes dos lugares da Floresta Nacional de Humaitá, no sul do Amazonas

Ana Paula Teixeira Gouveia

Coletivos e Participação Política no Brasil

Coletivos e Participação Política no Brasil

Jimmy Pitondo

Qual é o seu valor?

Qual é o seu valor?

Marlon Reikdal